05 sinais de que seu filho pode estar sofrendo bullying em qualquer idade

O bullying pode ocorrer em todos os níveis de ensino e suas consequências são variadas. Conheça algumas dicas que podem ajudar a perceber se seu filho sofre bullying escolar e a como proceder.

Bullying 2Bullying é assunto sério e delicado, principalmente para uma criança ou jovem que o sofra. Trabalho com o assunto tanto no âmbito educacional quanto no das artes cênicas e adianto: mesmo que algumas pessoas digam que é modismo ou que simplesmente “na sua época, aquilo não existia”, existia sim, tanto que ganhou um nome e a atenção do mundo inteiro.

Mas afinal – e em primeiro lugar – o que é bullying? Não é uma simples implicância corriqueira. É uma agressão repetitiva, constante e moralmente degradante, ocorrida principalmente no ambiente escolar e que pode gerar efeitos colaterais graves em todas as idades.

Os 3 personagens do bullying são o agredido, o agressor e o espectador. O agredido é o que sofre os diversos tipos de perturbação: cyber bullying (feito por computador, celular e internet), apelidos degradantes, comentários constrangedores e até agressões físicas. O agressor é o que pratica diretamente o bullyng, ofendendo e denegrindo. Já o espectador é o grande mediador e incentivador da ação: é este o responsável por filmar, incentivar, fofocar, rir do agredido, repassar imagens e fomentar as ações de agressão.

Mas falando de crianças pequenas, na educação infantil já é possível ter bullying? Sim! Em menor quantidade de casos, mas sim. A agressão moral repetitiva começa com preconceitos referentes à qualidade dos brinquedos levados no ambiente escolar, ao perfil econômico de cada criança, cor de pele, tipo de cabelo e outras particularidades da primeira infância, como chacotas que envolvam saúde, higiene e incapacidade de realizar determinadas tarefas. Independente de ter ou não interferência dos adultos no bullying nesta idade (e eu acredito que, na maioria dos casos, tem), já é a primeira semente da discórdia no relacionamento escolar.

Então, como detectar se meu filho pode estar sofrendo bullying? Seguem 5 dicas que servem de alerta:

  • Agressividade repentina e sem motivo aparente
  • Introspecção acima do normal em diversos aspectos
  • Resistência para ir à escola
  • Queda no rendimento e/ ou na qualidade do comportamento escolar
  • Excesso de timidez e/ ou insegurança

Estas dicas podem, sim, indicar outros fatores importantes, porém, são bastante características de quem vem sendo agredido em ambiente escolar. A desvantagem é que, entre as crianças, muitas chegam a esquecer de relatar a dificuldade à família, simplesmente por distração, porém, passam progressivamente a apresentar um ou mais destes sintomas. Já entre os jovens, o medo de uma exposição ainda maior ou de receber represálias são fatores que estimulam alguns a omitirem a situação.

Se você, adulto, estiver na dúvida, converse abertamente. Ouça – e possivelmente não será uma conversa tranquila – mas mostre a realidade causada pelas agressões e o quanto esta prática deve ser combatida. Explique também que, em geral, a técnica de expor o suposto defeito do outro é uma forma do agressor se prevenir de ter os próprios defeitos expostos. Fazer bullying, portanto, é um sinal claro de fraqueza. Depois disso, chegue junto na escola e decidam juntos o que poderão fazer sobre a situação – mas façam.

Para identificar junto aos pequenos, brinque de fantoche ou bonecos. Simule situações escolares com eles. Pode apostar que, sem que a criança perceba, muitas informações importantes serão ditas ali, naquele momento.

Além de detectar, trabalhar o assunto e alinhar o discurso e prática com a escola sobre o bullying, deixe claro para a criança o quanto ela é especial do próprio jeito. Não há melhor remédio, nesse caso, do que o amor, a segurança e a valorização do lado bom que todos temos.


4 comentários sobre “05 sinais de que seu filho pode estar sofrendo bullying em qualquer idade

  1. Meu filho sofreu bullying na escola, a professora percebeu me chamou na coordenação e aconselhou mudasse ele de turno, o aproveitamento dele na baixou e auto estima foi la pra baixo, ele foi acompanhado por uma psicóloga que dizia: “ele está sendo acompanhado pra prevenir algum tipo de trauma, mas que precisa de psicólogos são as crianças que fizeram isso com ele na escola”, e era verdade.

    Curtir

  2. Adorei a reportagem, principalmente a forma que foi abordado. O bullying na maioria das vezes é tratado de forma banal acredito que por esse motivo aumente os casos ao inves de diminuir.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s